Nódulos na tireoide

Nódulos na tireoide: diagnóstico e tratamento

Os nódulos da tireoide são células que se desenvolveram mais do que deveriam, eles podem ser compostos por massa de tecido ou por cistos constituídos por líquido. Geralmente, não há com o que se preocupar, pois esses nódulos costumam ser benignos e não são considerados tumores. As chances de eles terem características malignas são baixas, sendo que apenas cerca de 10% recebem tal diagnóstico. Mesmo com as estatísticas favoráveis, é preciso averiguar e tratar a alteração com um médico endocrinologista.

Como os nódulos são uma massa aumentada da tireoide, eles podem começar a produzir grandes quantidades de hormônios, provocando, assim, o hipertireoidismo.

Não se sabe ao certo quais fatores estão envolvidos no aparecimento de nódulos na tireoide. As chances de desenvolvê-los aumenta ainda mais em caso de histórico familiar ou se o paciente já passou por alguma exposição radioativa.

Sintomas de nódulos da tireoide

O principal sintoma do nódulo é a formação do caroço. Muitas vezes, essa protuberância só é percebida por uma 3ª pessoa: é que, ao engolir, o pescoço do paciente com nódulo sofre alteração ao fazer o movimento de deglutição. Outros tipos de sintomas não são tão comuns, mas que o paciente também pode apresentar, são:

  • dor de garganta;
  • rouquidão;
  • hipertireodismo;
  • dificuldade para respirar e engolir.

Já que o hipertireoidismo pode estar associado aos nódulos tireoidianos, é preciso, também, ficar alerta aos sintomas dessa patologia: aceleração dos batimentos cardíacos, ansiedade, irritabilidade, dificuldade para dormir, aumento de apetite, perda de peso, diarreia, fraqueza, tremores, transpiração aumentada, cansaço e olhos saltados são alguns deles.

Além dos sintomas já citados, quando o nódulo é maligno, ele possui características como crescimento acelerado e irregularidade no formato.

Diagnóstico

O diagnóstico deve ser feito pelo endocrinologista, que poderá solicitar exames laboratoriais como o de sangue, a ultrassonografia e a biópsia. Dessa maneira, é possível investigar as características da glândula: se há alteração de tamanho, consistência ou produção alterada de hormônio. Além disso, pode-se analisar se o nódulo possui características benignas e malignas.

Tratamento

O tratamento para o nódulo de tireoide irá variar de acordo com o diagnóstico.

  • Nódulos malignos
    Nos nódulos malignos, o tratamento recomendado é a remoção cirúrgica da tireoide. Nesse caso, é indicado também o tratamento com iodo radioativo, com o objetivo de eliminar qualquer resíduo da célula doente. Como as glândulas da tireoide são retiradas, é preciso, então, dar continuidade ao tratamento com a reposição hormonal. Visitas periódicas ao médico também são recomendadas, para que se faça controle. Há casos em que a quimioterapia ou a radioterapia são indicadas.
  • Nódulos benignos
    A cirurgia para a retirada de nódulos benignos é necessária apenas se eles possuem tamanho que possa interferir na qualidade de vida do paciente, como em casos de dificuldade para respirar ou engolir.
  • Nódulos hiperfuncionantes
    Esse tipo de nódulo, apesar de não ser cancerígeno, pode provocar o aumento da produção de hormônios da tireoide devido ao hipertireoidismo. Esse caso também necessita de tratamento, que pode ser realizado por meio de medicamentos ou terapia com iodo radioativo.

São bem comuns os casos de nódulos da tireoide. Apesar de serem poucas as chances de os nódulos serem malignos, é necessário sempre procurar um endocrinologista para a realização do diagnóstico e do tratamento adequados. Outro ponto importante a se lembrar é que o acompanhamento é tão importante quanto o tratamento, pois é a partir dele que se detecta como os nódulos estão se comportando no organismo.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder os seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como endocrinologista em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.